close
Cuidados Tempo de leitura: 2 minutos

Borra de café: ingrediente sustentável e eficaz para a cosmética

Confira como o pó de café se transforma em ingrediente natural para os cosméticos

Por: Almir

O Brasil é o segundo maior consumidor de café do mundo. Segundo dados da Organização Internacional do Café (ICO), cada brasileiro utiliza uma média per capita anual de cerca de 4,79 kg. E o descarte da borra advinda desse consumo nem sempre é feito de uma maneira correta. 

A reutilização consciente do material orgânico excedente da filtragem do café, visa diminuir a parcela de lixo que é produzida e descartada em lixões e aterros sanitários. A proposta é minimizar a decomposição da borra de café no meio ambiente, de forma a diminuir os gases de efeito estufa e também de chorume.

Como a borra de café é utilizada em cosméticos?

O uso do material na indústria cosmética é uma abordagem adequada para aproveitar e valorizar o resíduo do café. Ainda sem valor comercial, a substância vem sendo apontada como uma grande fonte de benefícios para formulação de cosméticos, por ser rica em antioxidantes e polifenóis. 

A borra do café é um resíduo obtido após a infusão do grão moído com água quente ou vapor para extração de substâncias aromáticas. Além disso, é considerada um importante agente equilibrador dos radicais livres (moléculas tóxicas que aceleram o envelhecimento da pele), além de ter propriedades emolientes.

Segundo informações do Profissão Biotec, a borra funciona como um poderoso esfoliante natural. Além de remover células mortas, ela tem potencial antioxidante, hidratante, antibacteriano e pode ter também ação anti-inflamatória.

A borra, ainda, pode ser usada para muitos outros fins, desde fertilizantes de jardim a produtos de limpeza e repelentes de pequenos insetos.

Borra líquida

Atualmente, a indústria já usa a borra de café em forma de óleo. Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro comprova que o componente, obtido através de prensagem, pode ser usado como hidratante corporal e protetor solar a fim de estimular a síntese de colágeno e elastina, evitando assim uma maior exposição da pele aos raios solares e gerando uma maior elasticidade e resistência da pele.

A pesquisa ainda aponta que o uso do óleo extraído da borra de café em cosméticos já é testado em produtos anti aging, pois atua contra o envelhecimento precoce. E, como contém polifenóis, triacilgliceróis, esteróis, tocoferóis e outros ativos que possuem propriedades anti-inflamatórios e antioxidantes, também está presente em cremes faciais e anti-celulite.

A procura por formas inovadoras para um descarte consciente e reutilizável da borra faz parte do desenvolvimento de soluções ambientais com finalidade de fomento à economia circular. A ideia é criar um novo conceito de “lixo” e substituir a visão simplista do descarte por um mais contínua e cíclica de produção, na qual os recursos deixam de ser somente explorados e ‘jogados fora’ e passam a ser reaproveitados em um novo ciclo.

Dessa maneira, a reutilização do composto vegetal gera um novo ciclo para a produção de café, que nasce no pós-consumo e traz com ele a reflexão sobre os ciclos produtivos, o desperdício e seu impacto ambiental.