close
Inovação Tempo de leitura: 2 minutos

México proíbe testes em animais para produtos cosméticos

Senado mexicano aprova por unanimidade lei favorável ao movimento cruelty free

Por: Almir

O mundo está se mobilizando cada vez mais em prol da causa animal. Desta vez é o México quem dá um importante passo rumo ao movimento cruelty free: o Senado do país aprovou uma reforma da Lei Geral de Saúde que proíbe o uso de testes em animais para produtos cosméticos.

O país se torna, portanto, o primeiro da América do Norte e o 41º no mundo a proibir esses testes.

Veja aqui a matéria completa

O projeto – fruto de uma iniciativa apresentada, em abril de 2019, pelo senador Ricardo Monreal Ávila – foi aprovado por unanimidade (103 votos a favor).

Apoio incondicional dos consumidores

A Lei Geral de Saúde do país (Ley General de Salud) agora proíbe a fabricação, importação ou comercialização de produtos cosméticos testados em animais ou que contenham ingredientes ou combinações de ingredientes testados em animais.

O projeto foi apoiado pelos grupos de defesa dos direitos dos animais Humane Society International México e Te Protejo. Desde novembro do ano passado, mais de 1,3 milhões de pessoas assinaram uma petição criada por eles, a HSI-Te Protejo, para proibir esses testes no México.

Os grupos acreditam que isso tenha sido resultado de uma influência positiva do curta-metragem de animação Save Ralph, produzido pela Humane Society International, que teve mais de 150 milhões de visualizações no YouTube e mais de 730 milhões de tags no TikTok. O vídeo (clique acima e assista a versão do filme em português) apresenta um coelho sendo entrevistado para um documentário sobre sua rotina diária como “cobaia” em um laboratório. 

Os testes com animais já estão oficialmente proibidos em 41 países, além de 10 estados no Brasil e sete nos Estados Unidos. Três outros estados americanos – Nova Jersey, Rhode Island e Nova York – estão atualmente considerando projetos de lei semelhantes. Já alguns projetos de lei federais estão pendentes de reintrodução tanto nos EUA quanto no Canadá.