close
Inovação Tempo de leitura: 2 minutos

O que os probióticos e prebióticos estão fazendo pelos cuidados com a pele? Nós explicamos

Entenda como esses ingredientes podem trazer benefícios para sua saúde

Por: Almir

Com as medidas de isolamento social propostas ao Covid-19, o mundo se voltou para o básico. Trancafiados em casa, muitas pessoas testaram máscaras, cremes e produtos para a pele. Mas muitos, também, podem ter esquecido de um ingrediente super conhecido: os probióticos e prebióticos.

Com o maior conhecimento a respeito da microbiota da pele surgem novos produtos com probióticos e os prebióticos, que estão revolucionando a rotina de beleza.

Pode ser que você ainda não saiba, mas o iogurte, queijo azul, picles e até mesmo chucrute estão cheios de bactérias e fungos  que, quando consumidos em quantidades suficientes, são benéficas para a saúde. Esses microorganismos agora estão aparecendo em certos cosméticos para o benefício da nossa pele, que (finalmente) receberá os ingredientes ativos necessários para reparar os danos do passado e defender contra agressões futuras. E isso é um grande avanço para a área da cosmetologia.

Como distinguir probióticos de prebióticos?

Os probióticos são microrganismos que conferem benefícios à saúde, tais como o aumento da imunidade da pele, luminosidade, viço e melhora da barreira da pele.

Por outro lado, os prebióticos são açucares, fibras e aminoácidos que não são digeridos pelos humanos mas sim pelos microorganismos servido de alimento para eles bons favorecendo que os que promovem a saúde sobressaiam sobre os maléficos.1 

É tudo uma questão de equilíbrio e respeito; assim que o equilíbrio das bactérias boas for restaurado, a pele fica aliviada e pode mais uma vez se defender adequadamente.

Indispensável para o organismo

Poluição, estresse, sol, fumo, comida e até mesmo alguns cosméticos irritantes são fatores que podem afetar o equilíbrio da microbiota e promover o ressecamento da pele, o excesso de oleosidade e outras formas de inflamação. Segundo especialistas, isso pode afetar a barreira da pele no sentido mais amplo, pois podem deixar as bactérias boas ‘mais fracas’ e, assim, isso as bactérias nocivas se desenvolverão. 

E é aí que entram os prebióticos. Eles servem, à sua maneira, para reduzir a inflamação da pele estressada e acalmá-la a longo prazo. Ao “nutrir” a pele com bactérias boas, as bactérias ruins irão desaparecer.

Fim das inflamações

A introdução de probióticos e prebióticos ajuda dar à pele a força de que necessita para lutar contra as agressões diárias. Como resultado, problemas como secura, acne ou pele opaca serão aliviados mais facilmente.

Ao se defender melhor, significa que a barreira da pele está mais calma, consequentemente, há menos vermelhidão e inflamação. A hidratação será maior por conta dos açúcares e dependendo dos produtos, também trará luminosidade e ajudará na prevenção contra o envelhecimento.

Ao contrário do que se possa pensar, esta ciência complexa ainda está em sua fase inicial, mas seu potencial parece enorme. Os cientistas que trabalham com o assunto estão convencidos de que esses microrganismos estão prestes a revolucionar a indústria, nem que seja para ajudar a desenvolver produtos que respeitem a pele e sejam muito menos irritantes.

Referência da citação

  1. Health effects of probiotics and prebiotics A literature review on human studies Henrik Andersson (Prof), Nils-Georg Asp (Prof), Åke Bruce (Prof), Stefan Roos(Dr), Torkel Wadström (Prof) & Agnes E. Wold (Assoc Prof)