close
Inovação Tempo de leitura: 3 minutos

Prazo para proibição de microplástico esfoliante na UE está prestes a vencer

União Europeia estuda restrição de compostos de plástico adicionados a produtos, mas proposta ainda gera dúvidas

Por: Almir

A discussão em torno das microesferas de plástico usadas em cosméticos já se arrasta há anos. Agora, as atenções estão voltadas para a resolução da proposta da União Europeia, que julga a regulamentação sobre as multas para empresas que usarem microplásticos na composição de cosméticos. A ação está prevista para entrar em vigor ainda no primeiro semestre de 2021.

Veja aqui a Diretiva (UE) 2019/904 do Parlamento Europeu e do Conselho 

Além disso, a European Chemicals Agency (ECHA) já prepara uma proposta para proibir que os microplásticos sejam adicionados a produtos vendidos em toda União Europeia, com probabilidade de a lei entrar em vigor em 2022.

Mas o site da Plastic Soup Foundation diz que os esforços da Comissão Europeia não têm sido assim tão eficazes. Eles contam que em 2015, a Cosmetics Europe (grupo que representa os interesses da indústria europeia de cosméticos) incentivou seus membros a pararem de usar microesferas de plástico em produtos de higiene pessoal. Três anos depois, a associação da indústria anunciou que, após 2020, as marcas na Europa não venderiam nem mesmo um único produto de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) contendo microesferas. Eles também prometeram que, em 2020, os pedaços de plástico que entraram pelos ralos seriam coisa do passado. Ou seja, fim desse tipo de resíduo é sempre a água.

Mas…

A publicação alerta, porém, que com essa eliminação voluntária, a Cosmetics Europe estaria apenas tentando evitar uma proibição legal. A tentativa foi bem-sucedida na medida em que ainda não há legislação em vigor. Espera-se uma proibição europeia em 2022. Mas, até lá, também não há penalidades para o uso de plástico em cosméticos.

Em pesquisa publicada recentemente na revista científica Marine Pollution Bulletin, pesquisadores analisaram produtos de limpeza em vários países e constataram que produtos classificados como naturais, muitas vezes contém microesferas naturais juntamente com plástico em sua composição.

Para fins publicitários, alguns produtos listam apenas ingredientes in natura, como por exemplo os grãos de damasco. Mas, só quem estuda a lista de ingredientes pode descobrir que o mesmo produto também contém polietileno. Os pesquisadores, portanto, falam em um possível engano.

Como identificar as microesferas plásticas?

Os microplásticos (menores que 5mm), também conhecidos como micro pérolas ou micro esferas, são intencionalmente adicionados aos cosméticos com a função de promover uma esfoliação mecânica. 

A partir de 2001, após a descoberta de microplásticos no ambiente de água doce, estudos mais intensos têm sido feitos para determinar o impacto ambiental causado por essas partículas.

Já se sabe que elas causam, além dos danos físicos aos animais aquáticos (uma vez que são regularmente descartadas na água e, consequentemente, ingeridas por espécies marinhas), também podem causar danos tóxicos. Isso ocorre porque esses plásticos, apesar do tamanho, apresentam uma grande capacidade de absorção de compostos de alta toxicidade, como metais pesados (mercúrio, cádmio, etc). E, como são dificilmente visíveis a olho nu, essas micro esferas fluem direto do ralo do banheiro para o sistema de esgoto. (incluir que o ‘fim é sempre a água)

Os impactos do plástico na saúde em todas as suas formas devem ser uma grande preocupação para todos nós. Hoje, com a restrição proposta pela ECHA, temos conhecimento de mais de 500 ingredientes microplásticos amplamente utilizados em cosméticos e produtos de higiene pessoal. Alguns desses ingredientes indicam toxicidade para a saúde humana, para a vida aquática e, para outros, não há informações disponíveis suficientes.

Essas informações podem ser bastante assustadoras, mas é importante que sejam divulgadas, compartilhadas e avaliadas. O site da campanha Beat Microbead, por exemplo, traz um guia de pesquisa bem fácil sobre microplásticos utilizados em cosméticos.

Caso tenha dúvidas na hora de comprar um produto, o ideal é que se faça uma pesquisa rápida. A nossa saúde vale esse cuidado.