close
Cuidados Tempo de leitura: 2 minutos

Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta que mulheres precisam ter cuidados diários com a pele

A entidade avalia que prevenção e autocuidado são essenciais para se evitar doenças

Por: Almir

O Brasil é um país tropical com regiões e fatores climáticos bem diversificados. Diante disso, os cuidados com a pele – sobretudo a feminina – devem ser redobrados. O alerta feito pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é muito importante não por sexismo, mas pelo fato de as mulheres serem a maioria da população brasileira.

Acne, melasma e queda de cabelo são exemplos de manifestações de alta prevalência que, apesar de corriqueiras, podem impactar a vida de muitas mulheres. 

De acordo com a presidente do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD, Fabiane Andrade Mulinari Brenner, a perda significativa de cabelo está entre as principais reclamações ouvidas por especialistas dentro dos consultórios. “Uma queda mais acentuada de fios pode desencadear problemas que afetam a saúde mental da paciente, levando a quadros de depressão, interferindo no casamento, sociabilidade e vida profissional”, avalia.

Veja aqui a matéria completa

A alopecia (uma das causas mais frequentes de calvície na mulher) pode ser desencadeada por diversos fatores como desregulação hormonal, síndrome do ovário policístico ou até mesmo menopausa. Na maioria dos casos, a doença está relacionada a fatores hereditários e à atuação do hormônio masculino, sendo assim denominada de alopecia androgenética. 

Segundo a especialista, tanto a queda acentuada de cabelo quanto o rareamento dos fios são considerados sinais de alerta. Nesses casos, a mulher deve procurar um dermatologista para receber orientações sobre as opções de tratamento disponíveis. Além disso, é recomendada uma investigação de problemas correlacionados, como distúrbios de tireoide, deficiência de nutrientes, entre outros.  

Doenças de pele têm que ser prevenidas e tratadas

Também se deve ficar atento às doenças de pele como acne e melasma. Segundo a assessora do Departamento de Cosmiatria da SBD, Maria Paulina Villarejo Kede, inúmeras pacientes usam muita maquiagem para esconder marcas ou manchas (os melasmas, geralmente, geram coloração escura na testa, têmporas, nariz e regiões das maçãs, supralabial do rosto e braços), o que pode agravar ainda mais o problema. Nesse caso, o ideal é fazer uso de produtos tópicos ou medicamentos orais, sempre prescritos por dermatologistas. 

A pele seca é outro detalhe que as mulheres precisam ficar atentas, principalmente as gestantes. Um problema bastante comum durante a gravidez é o aparecimento de estrias – condição que não há como se evitar -, por isso recomenda-se a hidratação da pele antes, durante e após o parto. 

No período pós-parto é importante, ainda, se ter cuidado com o uso de produtos tópicos aplicados na área das mamas. Na maioria das vezes, as mulheres se encontram no período de lactação e algumas formulações podem ser prejudiciais à saúde do recém-nascido. 

É recomendado sempre orientar-se com um médico sobre os produtos que devem ou não ser evitados na gestação ou no período de amamentação.