close
Cuidados Tempo de leitura: 3 minutos

Desodorantes com alumínio são maioria no mercado

Muitos antitranspirantes trazem em suas formulações o ingrediente que impede toxinas de serem liberadas do corpo

Por: Almir

A modernidade trouxe novas demandas e urgências para a sociedade. Com o passar dos anos, o simples fato de transpirar se tornou um problema. Com a rotina corrida e muitas horas fora de casa, passamos a procurar alternativas para combater e eliminar processos naturais que agem como proteção do corpo..

Mas é através do suor que liberamos toxinas, controlamos o PH e a temperatura do corpo, e mantemos o organismo equilibrado. Ao usar um desodorante antitranspirante, por exemplo, impedimos que essas reações naturais do corpo fluam naturalmente. E, foi pensando nisso que a revista alemã Oeko Test resolveu testar algumas marcas de desodorantes. O objetivo era avaliar quais são as mais seguras e as que contêm mais alumínio, substância prejudicial para o corpo.

Veja aqui a matéria completa

O resultado do teste, como não poderia deixar de ser, foi surpreendente. Vários desodorantes antitranspirantes contêm, não só alumínio, mas vários outros aditivos químicos. Essa interferência faz com que as toxinas – que deveriam ser liberadas – permaneçam no nosso corpo podendo causar alergias, irritações, foliculite, nódulos e até doenças mais graves, como câncer de mama.

Com o teste, a Oko Test faz um alerta sobre o uso indiscriminado de desodorantes em uma das áreas mais delicadas do corpo (as axilas), sem que as pessoas se dêem conta dos prejuízos que podem estar causando à saúde.

Uso de desodorantes e o câncer de mama

Há muito tempo, o uso de desodorantes e antiperspirantes (antitranspirante) que contêm alumínio em suas formulações vem sendo associado ao risco de câncer de mama. No entanto, estudos realizados pela Anvisa e pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI) alegam que ainda não existem pesquisas ou evidências conclusivas que possam comprovar isso. 

Mas um estudo recente da Universidade de Genebra na Suíça mostrou resultados alarmantes: muito além da privação do odor, os desodorantes em uso prolongado poderiam ser responsáveis por inúmeros casos de câncer de mama. A pesquisa alega que a exposição constante ao cloreto de alumínio pode acelerar o crescimento de tumor no tecido mamário. Nesse caso, a grande questão é que essa substância está praticamente presente em todos os desodorantes. O cloreto de alumínio é o elemento fundamental para evitar a transpiração, uma vez que ele bloqueia a glândula sudorípara.

O alumínio está presente na formulação da maioria dos desodorantes químicos

A verdade é que sem comprovação científica, o alumínio continua sendo usado sem parcimônia. A maioria dos antitranspirantes, inclusive, trazem em seu rótulo a utilização de sais de alumínio como princípio ativo. Além disso, podem conter propilparabeno, butilparabeno, etilhexil, metoxicinamato e triclosan, ingredientes que são prejudiciais tanto para saúde quanto para o meio ambiente.

A análise foi feita com várias marcas de desodorantes, inclusive produtos brasileiros. No entanto, o Brasil se mostrou alinhado à demanda clean beauty: alguns desodorantes nacionais são completamente livres de componentes tóxicos. 

Alternativas naturais ao uso de desodorantes

Na dúvida, opte pelo desodorante natural, cuja função é somente eliminar maus odores. Já o antitranspirante tem a função de diminuir a produção de suor, promovendo a obstrução das glândulas sudoríparas e interferindo, assim, em processos fisiológicos. 

Outra possibilidade é substituir o desodorante convencional por fórmulas naturais ou veganas, geralmente produzidas com substâncias naturais de origem vegetal, orgânicas e cruelty free, pois não são testadas em animais.

Destacamos algumas dicas selecionadas pelo site Green Me para quem quer fazer a transição do desodorante químico para o natural sem maiores problemas.

  • Lave as roupas com prata coloidal, um produto natural que desintoxica a roupa.
  • Passe bucha vegetal suavemente nas axilas ao tomar banho.
  • Após secar bem as axilas, passe um produto natural. 
  • É possível também fazer desodorante de forma caseira, utilizando uma mistura de bicarbonato de sódio (pode fazer uma pastinha com óleo de coco) ou fazer uso do leite de magnésia, já que ambos atuam neutralizando a acidez do suor que promove o mau cheiro e a proliferação de bactérias. (lembre-se de diluir ambos, pois em altas concentrações podem causar reações alérgicas na pele).
  • A má-alimentação é uma das causas para o desequilíbrio do organismo, por isso é recomendável ingerir uma quantidade adequada de alimentos de origem vegetal e natural que contribuem para a alcalinização do organismo. Além disso, um organismo desintoxicado produz menos odores.